Literatura de cordel vira patrimônio cultural imaterial brasileiro

  • Categoria: CULTURA
  • SubCategoria(s): LITERATURA
  • Data: 19/09/2018 16:26:54

Registro foi feito pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural

A literatura de cordel se tornou nesta quarta-feira, 19, Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. O registro foi feito durante reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, realizada no Rio, com participação do ministro da Cultura Sérgio Sá Leitão e representantes da Academia Brasileira de Literatura de Cordel (ABLC).

"Tenho respeito e admiração pelo trabalho heroico feito pela Academia Brasileira de Literatura de Cordel para manter o gênero vivo, para que ele fosse reconhecido como importante gênero literário, de grande relevância e significado", disse o ministro, segundo comunicado divulgado pelo Ministério nesta quarta.  

"O cordel é uma manifestação cultural que se tornou filha genuína da inteligência artística brasileira", afirmou o presidente da Academia Brasileira de Literatura de Cordel (ABLC), Gonçalo Ferreira. "O registro é a consequência natural desta importância que o gênero tem para o nosso país", observou.

O fundador da Associação dos Escritores, Trovadores e Folheteiros do Estado do Ceará (Aestrofe), Klévisson Viana, comemorou o registro. "O cordel é uma tradição viva que se renova o tempo todo, que procura dialogar com cada período histórico. Hoje, são raros os cordelistas que não têm uma página na internet para divulgar o seu trabalho", completa Viana, autor de mais de 200 folhetos de cordel e de 38 livros, um deles – O Guarani em Cordel – vencedor do Prêmio Jabuti em 2015.

Apesar de ter começado no Norte e no Nordeste do país, o cordel hoje é disseminado por todo o Brasil.

Os patrimônios imateriais são práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas, além de instrumentos, objetos, artefatos e lugares reconhecidamente relevantes para comunidades ou povos. 



Compartilhe
 
   

Busca

Categorias

Os 5 Mais Lidos

Twitter

Facebook